1 de jan de 2010

Como Gravar e Emular Imagens

    Como Gravar e Emular Imagens




Início
1. Introdução

Neste contexto uma imagem é um ficheiro que contém uma cópia exacta de
um CD ou DVD e que está preparado para ser gravado. Neste tutorial vai
ser explicado como gravar imagens com o 
Nero Burning Rom e com o Alcohol 120%. Emular as imagens permite-nos instalar e testar os jogos/programas/DVDs/etc, assim como aceder ao seu conteúdo, sem
recorrer à gravação. Isto é feito através de uma drive virtual, cujo funcionamento é semelhante a uma drive real. Neste tutorial será usado o
Daemon-Tools e a drive virtual do Alcohol 120%.

Atenção! As imagens não são ficheiros compactados como os que são criados com o Winzip ou WinRar. As imagens, além de pastas e ficheiros, contêm muita informação acerca do disco original e todas as características que nos vão permitir obter uma cópia exacta, sector a sector. Como tal não devem ser extraídas ou convertidas para outro formato (principalmente se tiverem protecção ou pistas de áudio), pois poderão deixar de funcionar devidamente.

 




Início
2. Gravação

2.1. Nero

Formatos de imagem suportados pelo Nero:
*.bin/cue  *.iso  *.nrg  *.img

O exemplo é para imagens em
.bin/.cue, o processo para gravar imagens nos outros formatos (seja CD ou DVD) é ainda mais simples, em vez do ficheiro .cue usa-se o próprio ficheiro .iso, .nrg. ou .img.
O ficheiro
.bin é a imagem em si, o ficheiro .cue apenas contém informação sobre as pistas e informa o software como vai ser gravado o .bin.



1. Abrir o Nero Burning Rom.


2. No menu «Recorder» selecionar
«Burn Image».
Burn Image 


3.
Procurar a imagem que queremos gravar (no caso de ser
.bin/.cue selecionar o .cue correspondente).
Selecionar imagem 


4.
Colocar o CD/DVD na drive. 
«Burn».
Burn

Nota:
Se ao selecionar o
.cue surgir um erro deste tipo:
Cannot open the file  An error ocurred while loading the cue sheet file

Isso pode ser devido a:
Os ficheiros
.bin e .cue não estarem na mesma pasta.


O ficheiro
.cue ter um caminho errado.


Neste último caso é preciso corrigir o ficheiro
.cue. Para isso edita-se o .cue (clicar com o botão do lado direito no ficheiro, depois em "Open with" / "Abrir com" e selecionar o "NotePad" / "Bloco de Notas") e, logo na primeira linha, altera-se o nome que está entre aspas para o nome do nosso ficheiro .bin.


Por exemplo, se o
.bin for exemplo.bin, o .cue deverá ficar assim:

   FILE "exemplo.bin" BINARY


      TRACK 01 MODE1/2352

        INDEX 01 00:00:00


 



2.2. Alcohol 120%


Formatos de imagem suportados pelo Alcohol 120%:
*.mdf/mds  *.bin/cue  *.bwa/bwi/bws/bwt  *.ccd/img/sub  *.cdi  *.pdi  *.nrg  *.iso

O exemplo é para imagens em
.mdf/.mds, o processo para gravar os restantes formatos é semelhante.

1. Abrir o
Alcohol 120% e no painel «Principal» clicar em «Assistente de Gravação de Imagem».


2. Na janela seguinte clicar em
«Procurar».


3. Selecionar o ficheiro de imagem que se prentende gravar.
     Todos os ficheiros que pertencem à imagem deverão estar na mesma pasta.



4. Clicar em
«Seguinte».


5. Neste menu selecionar as opções de gravação:
Velocidade, Método de Gravação (DAO=Disc-At-Once ; SAO=Session-At-Once), Tipo de Dados , etc. Clicar em «Iniciar» para dar início à gravação.
Clones: Atenção! Seguir sempre as instruções de gravação do NFO (caso não seja dito nada pode ser gravado normalmente). O método de gravação não é sempre o mesmo para certos clones e outros não podem ser gravados com o Alcohol (caso seja indicado no NFO) (é o caso do bwa/bwi/bws/bwt que deve ser gravado com o BlindWrite e do ccd/img/sub com o CloneCD). Outros nem devem ser gravados, mas sim emulados, e podem até precisar de outras ferramentas para funcionar, por isso ler as instruções do NFO antes de continuar!
 

 




Início
 3. Emulação


3.1. Daemon-Tools

Formatos de imagem suportados pelo Daemon-Tools:
*.bin/cue  *.iso  *.mds  *.nrg  *.b5t  *.b6t  *.bwa/bwi/bws/bwt  *.ccd/img/sub
 *.isz  *.pdi  *.cdi

O exemplo é para imagens em
.bin/.cue, o processo para emular os restantes formatos é semelhante.



1. Ao iniciar o
Daemon-Tools vai aparecer um ícon na barra no canto inferior direito.

2. Clicar no ícon com o botão do lado direito
-> Virtual CD/DVD-ROM -> Set number of devices -> 1 drive
Set number of devices

3. Clicar novamente no ícon com o botão do lado direito
-> Virtual CD/DVD-ROM -> Device 0: -> Mount image
Mount image

4. Selecionar o ficheiro
.cue correspondente ao .bin que queremos emular.
Selecionar imagem

5. A instalação do jogo/programa começa.
Caso não aconteça, pode aceder-se ao conteúdo da imagem como se fosse
uma drive real, através do explorador do Windows, e correr manualmente o executável da instalação. A drive virtual vai tomar a
última letra disponível.
Drive virtual

6. Para desmontar a imagem
emulada clicar novamente no ícon com o botão do lado direito
->

Virtual CD/DVD-ROM
-> Device 0: ->
Unmount image
Unmount image

7. No caso de um jogo/programa com vários CD's, quando for pedido o CD seguinte, basta repetir os passos a partir do ponto 3, para todos os CD's.

Nota:
Se ao selecionar o 
.cue surgir um erro deste tipo:
"Unable to mount image. File not accessable."

Unable to mount image.

Isso pode ser devido a:


Os ficheiros .bin e .cue não estarem na mesma pasta.

O ficheiro
.cue ter um caminho errado.


Neste último caso é preciso corrigir o ficheiro
.cue. Para isso edita-se o .cue (clicar com o botão do lado direito no ficheiro, depois em "Open with" / "Abrir com" e selecionar o "NotePad" / "Bloco de Notas") e, logo na primeira linha, altera-se o nome que está entre aspas para o nome do nosso ficheiro .bin.



Por exemplo, se o
.bin for exemplo.bin, o .cue deverá ficar assim:

   FILE "exemplo.bin" BINARY

      TRACK 01 MODE1/2352

        INDEX 01 00:00:00


 




3.2. Alcohol 120%


Formatos de imagem suportados pelo Alcohol 120%:
*.mdf/mds  *.bin/cue  *.bwa/bwi/bws/bwt  *.ccd/img/sub  *.cdi  *.pdi  *.nrg  *.iso


O exemplo é para imagens em .mdf/.mds, o processo para emular os restantes formatos é semelhante.

1. No painel «Opções» clicar em «Unidade Virtual».


2. Verificar se existe pelo menos uma unidade virtual activa (uma é suficiente).


3. De volta à janela principal, clicar no dispositivo virtual com o botão do lado direito do rato e de seguida em
«Montar Imagem».


4. Selecionar o ficheiro de imagem que se pretende emular.
     Todos os ficheiros que pertencem à imagem deverão estar na mesma pasta.



5. Agora a imagem está montada e o seu conteúdo pode ser verificado através do Explorador do Windows como se se tratasse de uma drive real. A drive virtual vai tomar a
última letra disponível.



6. Para desmontar a imagem da drive virtual volta a clicar com o botão do lado direito do rato em cima do dispositivo virtual e de seguida em «Desmontar Imagem». No caso de um jogo com vários CD's repetir o processo para todos os CD's, a partir do ponto 3.
 


 




Início
4. Dúvidas Frequentes

4.1. O .bin tem mais de 700 MB


É frequente o ficheiro .bin
ocupar mais de 700 MB. Na realidade esta imagem cabe num normal CD de
700 MB e pode ser gravada tal como foi explicado neste tutorial. Esta
diferença de tamanho deve-se ao facto de o
.bin
ser uma cópia 1:1 do CD original, mantendo todas as características e
informação que nos vão permitir obter uma cópia exacta, sector a sector.
O tamanho "real" da imagem, ou seja, o espaço que a imagem vai ocupar
na realidade, pode ser verificado com o
WinIso ou UltraIso ou até emulando a imagem no Daemon-Tools.



Por exemplo, a imagem usada neste tutorial tem 711 MB:

Tamanho do .bin



Abrindo o .bin com o UltraIso o tamanho a ocupar é de 620 MB:

  
UltraISO



4.2. Para que serve o .nfo?


Este pequeno ficheiro contém:

informação sobre qual a equipa que fez a release;

informação sobre a release (data, tamanho, formato, protecção, etc);

informação de como deve ser gravada/emulada a release;

informação sobre o crack (caso tenha);



serial (caso tenha);

etc.


Em alternativa, esta informação pode ser consultada no
NFOrce ou  Isonews, à excepção dos serials, que não são colocados lá.

 



4.3. Como ler ficheiros .nfo?


Os ficheiros com extensão .nfo podem ser lidos com o NotePad ou WordPad, basta para isso:


1. clicar com o botão do lado direito em cima do ficheiro;

2. selecionar "Abrir com" / "Open with";

3.
escolher um dos editores de texto referidos.


Em alternativa, uma vez que nem sempre é possível visualizar
correctamente os textos desta maneira, existem programas próprios para
ler
.nfo's, por exemplo, o DAMN NFO Viewer.

 



4.4. Tipos de imagens


Bin/Cue................................. Formato original do CDRWin, mas actualmente suportado por outros programas (Nero, Alcohol,...)
ISO........................................ Formato suportado pela grande maioria dos programas
NRG....................................... Nero Burning Rom
MDF/MDS.............................. Alcohol 120%
CCD/IMG/SUB ..................... CloneCD
BWA/BWI/BWS/BWT.......... BlindWrite
B00/B5I/B5T....................... BlindWrite



fonte:http://netiris.no.sapo.pt/tutorial.htm

0 comentários:

Postar um comentário